CGD - Passos Coelho bloqueou ALERTA das Finanças antes das eleições

Pareceres da Inspecção-Geral das Finanças que mostravam agravamento das imparidades da CGD guardados seis meses.

O Ministério das Finanças, que no Governo de Passos Coelho foi liderado por Maria Luís Albuquerque, teve na sua posse, durante seis meses, pelo menos dois pareceres da Inspeção-Geral das Finanças relativos a relatórios trimestrais da Comissão de Auditoria da Caixa Geral de Depósitos de 2014, que mostravam o agravamento das imparidades da CGD.

Foto: Dinheiro Vivo

De acordo com o Público, os dois documentos estiveram guardados de Março a Setembro e só quinze dias antes das legislativas de 2015 foram despachados pelo secretário de Estado das Finanças.

Os pareceres aos relatórios do terceiro e quarto trimestres de 2014, que na informação do despacho são descritos como não sendo "uma opinião de auditoria", mas uma vidência dos "aspectos mais relevantes do relatório da Comissão de Auditoria da Caixa Geral de Depósitos, foram recebidos no gabinete de Manuel Rodrigues em Março de 2015, mas só despachados para a Direcção-Geral do Tesouro e Finanças seis meses depois.

Este atraso vai ao encontro do que foi referido no relatório do Tribunal de Contas, divulgado na semana passada, que revela a existência de insuficiente "controlo [da CGD] pelo estado" entre 2013 e 2015.

Siga-nos por email

Subscreva:

Desenvolvido por FeedBurner

loading...