loading...

ALERTA a todos os utilizadores da internet

O número de burlas e extorsões relacionadas com o universo electrónico aumentou em 2016, face ao ano de 2015. De acordo com os dados da Guarda Nacional Republicana (GNR), houve 3171 burlas, mais 291, e 98 extorsões, mais 22 do que no ano anterior.

Ao JN, Ricardo Silva, das relações públicas da GNR, explicou que as crianças e os idosos são os principais alvos por parte dos burlões. "A venda de jogos em sites de compras online é um dos esquemas usados para atingir os mais jovens. Sendo que nos idosos, há muitos relatos de vendas de aparelhos auditivos que depois são falsos. Há, ainda, vários exemplos de casas de férias, que depois não existem", referiu.

Foto: Ei Montepio
Também a DECO adianta que o número de queixas de fraudes na internet tem aumentado. "A recepção de falsos e-mails de entidades bancárias, que parecem ser totalmente verdadeiros, é o relato mais frequente", explicou fonte da associação de defesa do consumidor.

Os esquemas fraudulentos electrónicos de pirâmide, ou a oferta de falsos empregos, e os e-mails para "sacar" dinheiro para causas humanitárias ou para ajudar falsos herdeiros de fortunas internacionais, são outras das reclamações mais comuns que chegam à DECO.

Menos crimes informáticos

Apesar do aumento das burlas e extorsões, o número de crimes informáticos diminuiu em Portugal. Em 2016 contabilizaram-se 911 crimes informáticos, menos 157 do que no ano anterior.

"Há uma diferença entre o crime informático e os que crimes relacionados com universo informático", destacou Ricardo Silva. O primeiro "exige um conhecimento técnico para penetrar no meio informático". Um dos exemplos mais conhecidos é o do "phishing", em que o objectivo é obter os dados pessoais.

"Os crimes no meio informático podem ser a venda de bilhetes falsos ou a cyberbullying, em que são usados sites de vendas ou as redes sociais", referiu.

Dia Europeu da Internet Segura

A GNR e a Microsoft Portugal vão realizar a partir de hoje e até sexta-feira, dia 10, um conjunto de acções de sensibilização, no âmbito do Dia Europeu da Internet Segura, que se comemora no dia 7 de Fevereiro.

"Marca a diferença: Unidos por uma Internet Melhor" é o tema da iniciativa que já vai no quarto ano e que pretende chegar a mais de de 90 mil alunos, 1500 pais, 400 escolas, 1500 professores e 2000 seniores, com o apoio de mais de 700 voluntários.

As acções de sensibilização serão realizadas por 320 militares e por voluntários da Microsoft Portugal, que irão abordar temas como o "cyberbullying", o furto de identidade, a privacidade, a incorrecção das fontes de informação, os vírus informáticos e a dependência da internet.

Fonte: JN

Siga-nos por email

Subscreva:

Desenvolvido por FeedBurner

loading...