loading...

CONFIRMADO - Glifosato provoca autismo, infertilidade, malformações congénitas

Em 2016, José Manuel Silva, o Bastonário da Ordem dos Médicos, escreveu um artigo no jornal Correio da Manhã, onde aconselha a que Portugal vote contra a utilização do glifosato, um herbicida altamente tóxico, utilizado sem controlo em Portugal para controlar as ervas daninhas nos passeios, jardins e canteiros municipais. Está cientificamente comprovado que este herbicida provoca cancro, doença celíaca e infertilidade entre outras doenças.

Foto: Jornal Tornado
Aqui fica o artigo publicado no Correio da Manhã:

Herbicida e saúde

Portugal ganha em diferenciar-se na agricultura biológica

A concentração do glifosato, o herbicida Roundup (e outras marcas), na urina de portugueses é das mais elevadas do mundo.

De forma chocante (corrupta?) e inédita a nível europeu, anteriores Ministérios da Agricultura, violando a lei e a proteção dos portugueses, excluíram o glifosato das análises de controlo em Portugal.

Como é possível um nível tão elevado de herbicida no nosso corpo? Será a água que bebemos? As rações animais, com cereais transgénicos, e a carne que comemos? Os alimentos? E quais? Contacto direto e inalação nos jardins e passeios? É urgente e obrigatório que o Governo faça análises sistemáticas. Não arranjem desculpas!

Como molécula pura e não apenas devido à taloamina, múltiplos estudos demonstram a associação e a plausibilidade biológica do glifosato como factor na génese de alguns cancros, doença celíaca e renal, autismo, infertilidade, malformações congénitas e outras patologias.

Portugal deve votar contra a continuação da utilização deste produto tóxico na Europa e proibir a importação de transgénicos roundup-ready e de alimentos contaminados com glifosato. Na Economia e na Saúde, Portugal ganha em diferenciar-se na agricultura biológica.

Fonte: Difrent

Siga-nos por email

Subscreva:

Desenvolvido por FeedBurner

loading...