ÚLTIMA - As festas privadas que os famosos frequentam

O Luso Jornal 2015 queria deixar o aviso de que este artigo foi retirado na totalidade do site http://www.maria.pt/.

O seu nome (fictício) é Henrique, tem 32 anos e frequenta a noite homossexual de Lisboa há largos anos. É homossexual assumido e confidenciou à Maria (revista) como teve acesso ao mundo das festas privadas e o que acontece dentro dessas quatro paredes, com segurança apertada e entrada restrita.

Foto: Maria.pt
Como entrou nesse mundo?

Eu trabalhei em bares do mundo homossexual há muitos anos e quando há uma inauguração de um sítio sou convidado porque sabem que eu tenho uma visão sobre a vida sexual muito espartana e que participo em festas.

Aliás, a maior parte das festas em Lisboa acontecem depois do fecho dos after hours, em que nos juntamos em casa de alguém, onde há bastante droga, muito álcool e relações. Não há parceiros definidos e, normalmente, também não há orientação, tanto estão lá homens como mulheres e acaba por ser, basicamente, free for all.

Participa em festas com um cunho tanto homossexual como heterossexual. Existem só na capital?

Não, há em várias zonas do país como no Algarve, no Porto e na Figueira da Foz. E, ainda em Lisboa, também há em Cascais.

Essas festas em Cascais assumem que registo?

São festas com muitas relações, droga e álcool, com uma liberdade muito grande e, aí sim, com uma atitude muito espartana, mas têm um código de acesso muito fechado. Só se entra por convite de alguém que habitualmente vai e com acordo do organizador da festa.

De seguida, alguém da organização da festa faz passar uma password que permite acesso à lista de convidados e à localização, que só é divulgada 24 horas antes do evento.

Não sendo sempre no mesmo espaço, que locais costumam ser os escolhidos?

Em vivendas ou nos hotéis, dependendo do número de convidados.

Estas festas privadas, embora com convite, envolvem muito dinheiro. Que valores são exigidos a cada convidado?

Podem ir até aos 250/300 euros por festa.

Costumam estar presentes pessoas conhecidas?

Claro que sim. Atores, políticos, jornalistas, figuras públicas e pessoas com sobrenomes muito grandes e pesados.

E como se pode tornar sócio da casa?

Através de alguém que já é sócio ou por convite quando as casas abrem. Eu costumo frequentar um clube onde a única forma de entrar é através de uma ante câmara onde se pode mudar de roupa e, ou se entra nu, ou se entra com um fetiche.

Mas há restrição a esse tipo de orientação ou qualquer pessoa pode entrar?

Que eu saiba, aqui na grande Lisboa, só há um clube que permite entrada a ambos os sexos.

Como é o ambiente desses espaços?

Não há privacidade. As salas que existem não têm porta. O que podem fazer é delimitar zonas, mas qualquer pessoa se pode juntar à situação ou pelo menos pode tentar e, em princípio, está à vontade para fazê-lo.

Em casas privadas ou clubes, há regras relativamente à existência de proteção?

Não há regras estipuladas. Normalmente, os trintões e os mais velhos que os trintões usam proteção e os miúdos, tendencialmente, não. Mas posso dizer-lhe que na maior parte das festas mais privadas em Lisboa, que acontecem pós after não há proteção.

Siga-nos por email

Subscreva:

Desenvolvido por FeedBurner

loading...