loading...

ÚLTIMA HORA - A cannabis deixou de ser uma droga leve

Este artigo publicado pela Revista Visão, mostra que deixam de existir drogas leves. O melhor artigo publicado até hoje, esclarece a todos os efeitos desta droga.

Manipulações na planta tornaram mais potentes os efeitos do THC, o princípio activo da cannabis, e já há consumidores com sintomas evidentes de dependência, que provoca, por exemplo, surtos psicóticos, diz o especialista.

Foto: HypeScience
A verificação não é teórica. É a realidade que a demonstra. A maior parte das pessoas que hoje procuram a rede nacional de Comissões para a Dissuasão da Toxicodependência (CDT) são consumidoras de cannabis. E apresentam uma dependência que as torna "incapazes de corresponder a outros aspectos" da sua vida, relata à VISÃO João Goulão, diretor do Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências (SICAD). "A substância transforma-se no centro das suas vidas."

O tema será por certo objeto de debate no balanço dos 15 anos da lei que em Portugal descriminalizou o consumo e a posse para uso próprio de drogas, que esta terça e quarta-feira, dias 8 e 9, reúne no Porto dezenas de especialistas. A propósito, João Goulão diz que está atualmente adquirida a consideração técnica de que a cannabis "deixou de ser uma droga leve".

Consumidores compulsivos de cannabis a ser tratados nas CDT apresentam, por exemplo, quadros clínicos de "surtos psicóticos" e de "ataques de pânico", descreve o Director do SICAD. "A cannabis de hoje é mais potente", explica João Goulão. "Manipulações na planta aumentaram os efeitos do THC", o princípio activo da substância.

Já houve tentativas para legalizar em Portugal a distribuição e o consumo de cannabis. O Bloco de Esquerda procurou legislar no sentido da utilização da substância para fins terapêuticos, e a Juventude Socialista para uso recreativo - ambos sem sucesso.

Por agora, o Director do SICAD encontra-se entre os céticos da legalização. "No consumo de cannabis, está demonstrado que as coisas não são tão inocentes como se pressuporia no início", diz. "O quadro legal existente é satisfatório."

Mas João Goulão afirma ser necessário "acompanhar novas experiências, ver as suas vantagens e desvantagens". O Director do SICAD refere-se a "laboratórios sociais" como os dos EUA, onde a cannabis já é legal em quatro Estados. Noutros cinco Estados, a questão vai a votos nas eleições desta terça-feira, 8.

SALAS DE CHUTO? SIM

Desde a entrada em vigor, há 15 anos, da lei portuguesa que descriminalizou o consumo de drogas (elogiada internacionalmente), diminuiu a taxa de infeção por VIH entre os toxicodependentes, baixaram as mortes por overdose e decresceu o número de condenados por tráfico de estupefacientes.

Leia mais em Visão

Siga-nos por email

Subscreva:

Desenvolvido por FeedBurner

loading...