ESCANDALOSO - Reforma aos 50 anos de 9000€ por mês na UE

É normal que não reste quase nada para nós!

Veja-se que os nossos políticos se batem-se como loucos para entrarem na Administração europeia. Porque? … O se segue dá-nos uma clara explicação …

É muito simplesmente escandaloso!

A reforma aos 50 anos e com 9.000 euros por mês para os funcionários da UE foi aprovada

Este ano, 340 funcionários partem para a reforma antecipada aos 50 anos com uma pensão de 9.000 Euros por mês.

A fim de ajudar a integração de novos funcionários dos novos Estados-Membros da UE (Polónia, Malta, Países do Leste…), os funcionários dos antigos países-membros (Bélgica, França, Alemanha.) receberão da Europa uma ponte de ouro para partirem para a reforma.

PORQUÊ E QUEM É QUE PAGA ISTO?

Todos nós trabalhamos ou trabalhámos para receber uma pensão de miséria, enquanto que os que fazem as leis e as aprovam oferecem-se a si-mesmos presentes dourados.

A diferença tornou-se demasiado importante entre o povo e “os Deus do Olimpo”!!!

REAJAMOS por todos os meios começando por divulgar esta mensagem a todos os Europeus

Estes altos FUNCIONÁRIOS da UNIÃO EUROPEIA CONSTITUEM uma VERDADEIRA MÁFIA

Os tecnocratas europeus gozam de verdadeiras reformas de nababos. Mesmo os deputados que, no entanto, beneficiam “do Rolls” dos regimes especiais, não ganham um terço do que ganham estes tecnocratas. Que dizer desta situação!

– Giovanni Buttarelli, que ocupa o posto “de controlador associado da protecção dos dados”, terá adquirido depois de apenas 1 ano e 11 meses de serviço (em Novembro de 2010), uma reforma de 1.515 €/meses. O equivalente que toca, em média, um assalariado belga ou francês do sector privado após uma carreira completa de 40 anos

O seu colega, Peter Hustinx, acaba de ver o seu contrato de cinco anos renovado.

Após 10 anos, este terá direito a quase 9.000 euros de reforma por mês.

É simples, já não há mais ninguém a pedir-lhes contas e estes decidiram aproveitar e, pelos vistos, aproveitam-se bem.. É como se, para a sua reforma, lhes tivessem dado um cheque em branco. Além disso, muitos outros tecnocratas também se aproveitam de tal privilégio:.

1. Roger Grass, escriturário no Tribunal de Justiça europeu, vai receber 12.500 € de reforma por mês.

2. Pernilla Lindh, juiz no Tribunal de primeira instância, vai receber 12.900 € por mês.

3. Ruiz-Jarabo Colomer, advogado geral, irá receber 14.000 € por mês.

Consultem a lista sobre este tema em :


Nesta lista encontra-se um certo Jacques Barrot (73 anos) com uma reforma de 4.728,60 € por ter estado 5 anos como Comissário europeu dos transportes

A isto é necessário acrescentar a sua reforma de antigo deputado, a de antigo ministro, a de antigo presidente do Conselho geral de Haute Loire, a de presidente da Câmara Municipal de Yssingeaux e para coroar esta brilhante carreira, a 23 de Fevereiro de 2010 foi nomeado para o Conselho Constitucional.

Colocados desde meados dos anos 1990, é-lhes assegurado validarem uma carreira completa e, por conseguinte, obter o máximo: 70% do último salário.

Porque, é mesmo muito difícil de acreditar … Não somente as suas pensões rebentam os tectos mais altos mas também deve-se acrescentar que lhes basta 15 anos e meio para validar uma carreira completa enquanto que para o comum dos trabalhadores é necessário matarmo-nos a trabalhar durante 40 anos e, em breve, será de 42 anos.

Face à falência dos nossos sistemas de reforma, os tecnocratas de Bruxelas recomendam o alongamento das carreiras: 37,5 anos, 40 anos, 41 anos (em 2012), 42 anos (em 2020), etc.

Mas, para eles, não há nenhum problema, para a taxa plena são necessários apenas 15,5 anos…

De quem é que estão a gozar? Na origem, estas reformas de nababos eram reservadas aos membros da Comissão europeia, depois, no correr dos anos, passaram a ser atribuídas igualmente a outros funcionários.

Agora, são toda uma armada a aproveitar: juízes, magistrados, escriturários, controladores, mediadores, etc. Mas pior, nesta questão, é que não fazem descontos para essa mesma super reforma!!!

Nem um cêntimo de euro, tudo está a cargo do contribuinte…

Nós, contribuímos e muitíssimo durante toda a nossa vida e, ao mais pequeno atraso de pagamento, é uma carga de trabalhos: chamadas de atenção, notificações, multas,

Eles, pura e simplesmente exoneraram-se a si-mesmos…. Somos levados a pensar que estamos a sonhar! Tenha-se em conta, mesmo os magistrados do Tribunal de Contas europeu que, no entanto, são suposto “controlar” se as despesas da União europeia são legais, se estas são feitas ao menor custo e para o objectivo a que as verbas estão destinadas…, aproveitaram-se do sistema e não pagam também eles os seus descontos para a reforma.

E, que dizer de todos estes tecnocratas que não perdem uma ocasião de jogar “aos polícias de Bruxelas” e não deixam de nos dar lições de ortodoxia orçamental, enquanto eles têm as duas mãos, até aos cotovelos, enfiadas no pote dos dinheiros dos contribuintes?

No momento em que o futuro das nossas reformas está comprometido gravemente pela violência da crise económica e pela brutalidade do choque demográfico, os funcionários europeus beneficiam, à nossa custa, de pensões de 12.500 à 14.000 €/mês, após apenas 15 anos de carreira e sem mesma estar a contribuir para essa mesma reforma…

Veja-se o que nos diz Le Point:

“ Os que passam à reforma podem esperar receber entre 300.000 a 500.000 euros

A verdade obriga a dizer também que estas reformas são acumuláveis com as obtidas nos países de origem. E que no caso de partida antes da idade – 65 anos – os 129 privilegiados da União recebem confortáveis paraquedas de protecção para a velhice. Sob a forma “de uma indemnização de mudança”, sabendo que todos os custos (transportes, seguros…) são, além disso, assumidos pela União. Acrescenta-se “uma indemnização de transição” paga mensalmente durante 3 anos em proporção do salário de base e da duração do mandato efectuado (40% para os com menos de 2 anos, até 65% para além de 15 anos). Uma restrição contudo: uma vez o mandato terminado, se o alto-funcionário europeu exercer uma nova actividade, a sua remuneração não deve exceder, incluindo a indemnização de transição, o que recebia em Bruxelas ou no Luxemburgo.

No total, acumulando as duas indemnizações, os que partem para reforma podem esperar receber entre 300.000 e 500.000 euros, o que não altera em nada as futuras prestações de reforma. Nada mal para os responsáveis mais bem pagos (o presidente da Comissão europeia José Manuel Barroso, com 29.504 euros, recebe mais do que o presidente dos Estados Unidos) e que, geralmente, integram depois a sua administração de origem, regressam à política ou beneficiam de boas posições no privado. Conclusão da organização Sauvegarde Retraites: “É uma vergonha, a administração europeia, que se assume como a garante da ortodoxia orçamental e é assim tão pronta a assumir o papel de fiscal no que diz respeito aos Estados-Membros que não respeitam os princípios de boa gestão e do rigor económico, conduz, para si-mesma, e às custas dos contribuintes, uma política laxista totalmente alheada das realidades.”

Veja-se agora uma tabela com alguns valores calculados para 2009:


Olhemos com atenção para a reforma de um dos coveiros da Europa, Olli Rehn: 5 anos e meio e sairia na altura com uma reforma de 4.610.38 euros. Agora andaria talvez pelos 9.000 euros com dez anos de serviço, como Vivianne Reding! Ou olhemos então para Viviane Reding que nos veio dar lições de cultura em regime de austeridade em Coimbra que com 10 anos sairia na altura 8.959.45 euros! E é esta senhora que veio a Coimbra participar num debate com os cidadãos. Sobre este debate e sobre o que ela pensa da crise que nos atinge, diz-nos o nosso querido amigo Luis Reis Torgal no jornal Público:

“Tratou-se, todavia, de um debate? Claro que não. Estes actos, assim realizados, acabam por justificar os políticos que representam uma determinada linha de acção e nada discutem, nem sequer ouvem, porque um verdadeiro debate é outra coisa – é um tempo da razão e da consciência crítica e não um “espectáculo do poder”. Mesmo que (segundo ouvi e li nas notícias dos jornais) alguns estudantes se tenham referido à escassez de bolsas e de condições de ensino e um comerciante da Baixa de Coimbra tivesse convidado a inefável Viviane a descer ali para ver aquele ponto nevrálgico da cidade quase deserto, onde alguns comerciantes passam fome, o que ficou para a “grande notícia”, como era de esperar, foram as palavras da “ilustre política”. Ali justificou a presença em Portugal dos funcionários da troika e disse que iríamos ficar mais fortes depois da crise que nos atingiu, e atinge a Europa, e da austeridade necessária”

Tudo isto a que estamos a assistir é uma pura provocação!

O objectivo do presente texto é o de alertar todos os cidadãos dos Estados-Membros da União Europeia.

Em conjunto podemos criar uma verdadeira vaga de contestação. Está fora de questão que os tecnocratas europeus possam continuar a gozar, à nossa custa e em toda a impunidade, de tais reformas.

Vamos força-los a colocar os pés na terra: Salvaguarde Retraites realizou um estudo preciso e muito documentado que prova por “A+B” a amplitude do escândalo, retomado pelos meios de comunicação social.


Difunda-se massivamente junto de todas as plataformas possíveis dos vinte e sete países da União Europeia, e há-de ficar efectivamente alguma coisa!!!

Texto adaptado do texto editado por Mireille MARZARO 

– Cadre Coordinateur Réseau de Soins Palliatifs des Alpes Maritimes (Quadro Coordenador da Rede de Cuidados Paliativos dos Alpes Marítimos)

Fonte e Foto: Aviagemdosargonautas

Siga-nos por email

Subscreva:

Desenvolvido por FeedBurner

loading...