Estamos a ficar sem espaço, nem recursos

A razão para explorar o espaço é simples: Hawking acredita que "se a humanidade quer resistir mais um milhão de anos, o nosso futuro deve ser ir onde ninguém foi antes".

Não é a primeira vez que Stephen Hawking faz este alerta, mas o físico repetiu esta semana o apelo num festival na Noruega em que o tema eram as viagens espaciais: "Estamos a ficar sem espaço, nem recursos. Temos de deixar a terra."

Foto: Meio Ambiente
Na conferência, em que Hawking participou por Skype, o cientista incentivou os líderes presentes a investir para construir uma base lunar em 30 anos e também para chegar a Marte até 2025, planos muito ambiciosos.

A razão para explorar o espaço é simples: Hawking acredita que "se a humanidade quer resistir mais um milhão de anos, o nosso futuro deve ser ir onde ninguém foi antes". Isto porque as ameaças actuais, das alterações climáticas à pressão que os mais de sete mil milhões de pessoas vivas actualmente exercem sobre os recursos naturais do planeta, levando à desflorestação e extinção de espécies, são bem reais, argumenta. A conclusão? "Precisamos sair da Terra".

Apesar de a tecnologia actual ainda não permitir cobrir distâncias longas no espaço, o físico referiu que ao aumentar a velocidade seria possível atingir, por exemplo, um planeta similar à Terra localizado na estrela Alfa Centauri B, um dos projectos em que está envolvido.

Apesar da insistência nas viagens espaciais, o cientistas não deixa de insistir na necessidade proteger o nosso planeta e considerou que a decisão de Donald Trump de retirar os EUA do acordo de Paris foi "a mais errada sobre as alterações climáticas que o mundo já viu".

Fonte: DN

Siga-nos por email

Subscreva:

Desenvolvido por FeedBurner

loading...